19/10/2016

A coisa mais importante da sua vida é a sua vida!

Essa caligrafia linda do Fábio Maca está no livro "Criativo e emproeendedor, sim senhor" da Rafa Cappai - Super recomendo a leitura!
Hoje eu passei a manhã toda batendo perna por aí. Enfrentei o nosso traumático Metrô de São Paulo, cai pra 25 de Março em um dos dias mais quentes do ano (coragem!) com um tênis que resolveu me sacanear e apertar o dedinho justamente quando o que mais eu precisava era de conforto e sai de lá carregando o peso de uma criança de 12 anos nas costas...é, não foi fácil...mas foi incrivelmente satisfatório! Já te conto o porquê...

Na primeira postagem desse blog eu contei por alto o comecinho da minha história e propus você a refletir sobre o que te faz feliz...e aí eu te pergunto, chegou à alguma conclusão?

Eu descobri o que me fazia feliz em um momento muito difícil da minha vida, na morte da minha avó. Entender a felicidade na morte é um belo paradoxo, não acham?

Pra contextualizar: eu me casei em junho de 2014 e a minha avó não compareceu. Não foi por maldade, ela morava em Marília (460 km de distância da minha São Paulo), não era muito fã de viagens longas e nós somos de uma família complexa onde o planejamento de uma simples ida à padaria pode desencadear a 3° guerra mundial.

Pouco tempo depois ela recebeu o diagnóstico de um câncer. A família toda desmoronou neste período, minha mãe não dormia uma noite sequer, viajava pra lá, ficava uma semana, voltava aqui por um ou dois dias e encarava a estrada de novo e assim foi por um bom tempo.

A saúde dela foi ficando cada vez mais debilitada então eu resolvi viajar pra vê-la, mas não deu certo os meus planos. Por conta das "metas importantíssimas" no trabalho eu acabei postergando a viagem em uma semana...e foi nesta decisão que eu errei grande...errei feio...

Minhas tias diziam que ela queria me pedir desculpas por não ter ido à festa, coisa de vó, sabe? Ela se sentia culpada com a possibilidade de ter me magoado e estava feliz com a minha iminente chegada mas não deu tempo, não tinha rodado nem 60 km quando recebemos a notícia do seu falecimento.

Foi ai que ficha caiu...aquelas "metas" não eram mais importantes que ela, não deveriam ser mais importantes que a minha família. Eu tinha priorizado da maneira errada e o sofrimento agora era todo meu.

Entendi que o que me fazia feliz não era o meu cargo ou o trabalho que exercia, não era aquele registro com o nome daquela super empresa na minha carteira de trabalho nem o salário que eu recebia no final do mês que me permitia alguns luxos. Entendi que aquilo poderia ter esperado, mas que a minha família não...e me doeu muito esta constatação, imagina acordar um dia e descobrir que você estava fazendo tudo errado, difícil né?

Nesse momento eu resolvi que iria viver diferente, que iria achar uma forma de estar perto do que realmente importa e mais importante, de quem importava.

A partir daí eu não consegui mais me enxergar dentro daquele sistema, não consegui mais aceitar os moldes que tentavam me encaixar nem aceitar as limitações que a empresa me impunha, não ia mais aceitar ter terceiros no comando da minha vida. Mas não se enganem, não era uma questão de insatisfação com o trabalho, eu amava e me orgulhava muito dele, vivi aquela empresa como se ela fosse um órgão do meu corpo, cuidei com carinho durante muitos anos e me doeu abandoná-lo mas ele simplesmente não me fazia mais feliz.

Empreender me salvou infelicidade. Não é uma jornada fácil, tem muitos desafios e muitas dificuldades, mas aprendi que viver não é impossível quando se tem coragem.

Daqui muitos anos, quero olhar para trás e saber que vivi uma vida plena, perto dos que amo e sem arrependimentos, e você, já sabe o que quer enxergar lá na frente?

No próximo post eu vou contar um pouquinho como me organizei para conseguir me dedicar 100% ao meu negócio, se vocês tiverem dúvidas ou sugestões de temas, escrevam aqui embaixo nos comentários, eu vou adorar!

Beijokas e até a próxima! =)

Comentários via Facebook

4 comentários:

  1. Linda história Ju!
    Com certeza você vai ser cada vez mais abençoada!
    Sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhh Alana, muito obrigada pelo apoio que sempre me deu! =)

      Excluir
  2. Oi Ju,

    Aproveitei que hoje estava com um tempinho livre e vim conhecer o seu blog. Adorei cada pedacinho dele. Assim como as suas cases, ele é muito fofo e muito bem feito! E, acima de tudo, adorei seu post. Sei (agora) que para chegar onde você chegou e ser feliz, não foi um caminha fácil. Mas, que bom que a vida nos ensina, a cada dia, o que realmente vale a pena, não é mesmo? =)

    Parabéns pelo trabalho! Sou fã!!! <3

    Beijinhos!

    Marília (@paginaseletras)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marília, muito obrigada pelo recadinho!

      Excluir

© 2016 – Todos os direitos reservados

Desenvolvimento com por