10/11/2016

Ctrl+C e Ctrl+V


A dúvida de hoje é da Raquel Damasceno de São José dos Campos/SP, ela tem 22 anos e é filha de uma artesã que trabalha com costurinhas voltadas para casa e decoração. Ela me contou que recentemente inseriu os produtos da mãe nesse nosso grande e disputado mercado virtual na intenção de aumentar a renda da família, mas disse que ficou muito chateada pois percebeu que algumas particularidades do trabalho de sua mãe começaram a ser copiadas por outras artesãs logo após à sua estreia na rede...e agora, o que fazer?

Essa é uma questão que todo profissional, seja do segmento criativo ou não, vai se deparar na vida em algum momento. Lembra daquele ditado "Nada se cria, tudo se copia"? Pois bem, ele pode ser aplicado no nosso caso por mais que a gente se recuse a aceitar.

Veja só a minha história: A primeira peça que eu costurei anos luz atrás foi uma capa de livro, ela era simples, sem forro de estrutura, mas tinha um lindo fechamento com laço de cetim vermelho. Foi uma costura totalmente intuitiva, ninguém havia me ensinado, eu não tinha moldes ou qualquer noção de como passar a linha na máquina, mas eu acordei naquele dia com vontade de fazê-la e fui lá e fiz.

Naquele momento eu achei que tinha descoberto a América! Afinal de contas, eu acabara de criar uma peça linda e tinha certeza que ninguém mais tinha tido esta brilhante ideia, porém, 5 minutos na internet acabaram com o meu momento de rainha da criação, havia uma infinidade de capas de livros disponíveis na rede, foi este o meu exato momento de desilusão.

Eu criei? Sim

Era original? Não

Veja só, nosso planetinha azul tem mais de 7 bilhões de habitantes, seria muita pretensão nossa assumir que nossas ideias são completamente originais. Sem dúvida outras pessoas tiveram os mesmos pensamentos, ainda que em fragmentos. Enfim, ter idéias não significa deter a exclusividade delas e colocá-las em prática, quando ela não é só sua, não significa copiar.

A criação, ainda que inspirada pelo trabalho ou ideias de outros, possui a identidade do criador, a cópia não, é mera imitação.

Falando de cópias, a situação mais inusitada que passei aconteceu em meados de outubro, quando uma lojista me encaminhou um e-mail questionando às minhas políticas de venda por atacado. Eu informei que trabalhava apenas com a venda direta ao consumidor final e ela mandou uma tréplica me questionando em quais condições uma artesã X havia adquirido meus produtos para revenda.

Fui olhar o trabalho da artesã em questão e realmente, produtos idênticos (não parecidos, idênticos mesmo!) estampavam sua página! Um olhar desatento poderia até dizer que a foto que ilustrava os produtos tinham saído dos meus anúncios.

Em um primeiro momento eu fiquei com raiva, no segundo eu fiquei confusa e no terceiro eu ri. Meu marido brinca que o tiro que esta pessoa X deu saiu pela culatra, afinal, ela tinha feito uma cópia tão fiel de um dos meus produtos que a lojista, que já conhecia meu trabalho, assumiu imediatamente que eles eram meus e não dela.

Já me deparei com infinitas situações deste tipo, de gente que copia o produto em si ou que tenta replicar o mesmo estilo, seja de divulgação, fotos em redes sociais, enfim, já dei de cara até com uma loja virtual que tinha exatamente a mesma estrutura que o meu, não se deram nem ao trabalho de renomear sessões.

É necessário aprender a separar o "joio do trigo, proteger o que é seu e aceitar o que é de todos.

De nada adianta carregarmos essas chateações, quanto mais tempo prestarmos atenção aos que os outros estão ganhando, menos tempo teremos para garantir o nosso.

Então tome ciência, avalie e descarte. Dedique sua atenção ao que realmente importa.

Como diria minha vó, costurar é uma técnica mais velha que andar pra trás, mais do que o produto em si, o que vai diferenciar você de seu concorrente é a identidade que você consegue imprimir no seu trabalho. Saiba que uma costureira talentosa vai olhar sua peça e desvendar sua segredos em segundos e não há nada que você possa fazer sobre isso, mas uma pessoa criativa vai além...ela vai transformar o que era seu em algo próprio e evoluir.

Um produto pode ser copiado, sua identidade não!

Acho que a minha dica para a mãe da Raquel e para todas as artesãs que se enxergaram nesta situação é: SEJA A PESSOA QUE EVOLUI! Se estão se inspirando, ou até mesmo, copiando o seu trabalho, significa que você está no caminho certo e uns passinhos à frente dos demais.

Acho que é isso por hoje! Espero ter ajudado a Raquel e quem me visita por aqui!

Se você também tem alguma dúvida ou quer uma visão diferente sobre alguma questão, deixa um recadinho pra mim nos comentários ou me envia por e-mail.

Beijokas turma, até a próxima! =)

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

© 2016 – Todos os direitos reservados

Desenvolvimento com por