25/01/2017

10 coisas que ninguém fala sobre empreender no artesanato


Se você amiga, chutou o balde como eu e resolveu trabalhar com aquilo que ama, com certeza sabe a dor e a delicia que é fazer esta escolha e provavelmente se enxergará em alguns dos itens a seguir, mas se você ainda tem o artesanato como hobby e deseja fazer essa transição vem comigo que eu conto alguns segredinhos para você!

1) É solitário, mas nem sempre isso é uma coisa ruim - A grande maioria das pessoas que eu conheço que trabalham com artesanato, trabalham sozinha. Agora imagine o choque que é ser ver assim depois de encarar anos em uma grande empresa, rodeada de pessoas, e-mails e telefones tocando. O WHATSAPP e a televisão serão os seus melhores amigos a partir de agora e você vai começar a falar sozinha, se já não o faz e saberá de cor a programação diária do canal de TV que te acompanha no seu dia a dia! Mas esta solidão não é de todo ruim, sozinha você consegue se organizar sem interferência e não precisa ficar explicando cada passo das suas loucuras (isso para mim é maravilhoso!).

2) Você acha que vai ter mais horas livres, mas vai trabalhar mais do que imaginou na vida - É amiga, você achava que trabalhava muito naquela empresa? Agora você vai descobrir que um dia com 24 horas não é suficiente para dar conta de tudo. Vai acordar trabalhando, dormir trabalhando, tomar banho trabalhando, comer trabalhando, enfim, vai trabalhar até quando achar que não vai. Agora você é dona do seu nariz e da sua empresa e os papeis mudaram, se antes quando o relógio batia 18h você levantava da sua cadeira e deixava a empresa sem pensar mais um minuto nela esse privilégio acabou, você vai pensar o tempo todo, se preocupar o tempo todo e querer resolver tudo o tempo todo.

3) As pessoas não vão te compreender - A maioria das pessoas vão achar que você enlouqueceu:  "Como assim deixar um emprego fixo, com bom salário e benefícios, para ir trabalhar com artesanato?". É inevitável esta reação, somos programados para seguir um padrão: crescer, estudar, arrumar um bom emprego, casar, ter filhos e se aposentar, se fazemos algo fora deste padrão, invariavelmente seremos incompreendidos. Mas não tem problema sair um pouco dos trilhos, ser diferente, se fossemos todos iguais, vivêssemos vidas iguais, por onde a criatividade teria vazão? Não dê valor à estas reações, siga seu instinto e deixe os outros com suas inseguranças, afinal de contas, elas não são suas, se você chegou até aqui é porque tinha certeza do que queria.

4) Seu guarda roupa vai mudar drasticamente - Se você usava vestidos e terninhos para trabalhar, essa realidade acabou! Roupas sociais com certeza serão descartadas ou escondidas de seu guarda roupa, que agora se resumirá à pijamas e pantufas fofinhas. Você atacará o guarda roupa do seu marido porque as roupas dele são mais confortáveis que a suas e vai se dar conta que usar uma calça jeans em um dia de calor, o que era completamente natural para você, será um tormento. Você tentará se manter arrumadinha por um tempo, mas não tem jeito, vai trabalhar de pijamas e com o cabelo embolado, afinal de contas você está sozinha, quem vai reparar nisso? Acho que a maior vantagem disso é a redução de roupas para passar em casa, isso é, sem sombra de dúvidas, uma benção!

5) Nunca terá materiais suficientes - Não interessa que você tenha 1km de tecidos no seu ateliê e 7kg de botõezinhos fofos, toda vez que você for em busca de reposições você trará sacolas e mais sacolas de tecidos e aviamentos que não estavam na lista porque não dava para perder aquela promoção ou novidade. Se não tomar cuidado, todo o lucro suado do seu trabalho vai ser investido nisso, por isso, programe-se e organize-se, afinal de contas a gente não vive só de tecidos bonitos, tem que guardar dinheirinho para as contas que vão chegar no final do mês, né?

6) Sua rotina será não ter rotina - Você quer acordar às 8h e parar de trabalhar às 18h, mas vai descobrir que inspiração e disposição não tem hora para acontecer. Tudo bem não seguir a tabelinha de horários, você não bate mais ponto nem tem chefe para dar aquela bronca. Haverá dias que você acordará super disposta e cheia de idéias às 3 da manhã, há dias que você não irá querer sair da cama, tem dias que você ficará super produtiva e outros que não vai querer nem chegar perto da máquina de costura. Saiba se ler e tire o melhor proveito disso, tem gente que funciona melhor a noite, outros de dia, veja o que é melhor para você e se joga amiga!

7) NETFLIX não é seu amigo (mas a gente ama ele mesmo assim) - Foco é tudo que a gente precisa para dar conta daquela encomenda enorme que acabou de chegar, mas aí você resolve conferir um episódio daquela série enquanto almoça, você piscou e 5 episódios passaram, o dia escureceu e você nem começou à cortar os tecidos daquele pedido e agora vai varar a noite costurando e tomando café para dar conta de tudo. É melhor deixar ele para os momentos de folga, senão a coisa não anda.

8) "Multitasking" é uma cilada Bino! - Você fazia um zilhão de coisas no trabalho e era super valorizada por isso? Esqueça! Esse conceito de "multitasking" é uma cilada amiga, se você ficar fazendo malabarismos entre as tarefas vai fazer um pouco de tudo mas não vai terminar nada. Defina as atividades e foque nelas.

9) O estudo será uma constante - Tocando um negócio próprio, você terá que se desdobrar em diversos papeis, vai ser responsável por tudo, da produção à divulgação, embalagem e pós venda e para dar conta de tudo isso você precisa ter o mínimo de segurança, então o estudo será uma boa alternativa. Você não precisa correr para fazer a matrícula em uma universidade ou fazer grandes cursos, a leitura costuma ajudar muito. Leia bons livros, pesquise, faça amizades com quem trabalha no ramo, veja filmes. Se tira aprendizado de tudo que cruza nossa vida, aproveite as oportunidades e aprenda!

10) Vai valer a pena - Não importa quantas vezes você caia, não importa que tudo dê errado, se é isso que você ama e quer fazer, vai valer a pena! O ser humano tem a incrível capacidade de vencer a adversidade. Empreender é se jogar de cabeça de um penhasco sem saber o que vai acontecer em seguida....será que vou materializar um para quedas? Vou construir um avião? Vou encontrar um lago cheio d'água ou dar de cara com o chão? Não importa, seja qual for o final, o que tem valor é o caminho! Trabalhe, se empenhe, ame, caia e se levante quantas vezes for necessário! Não permita que digam que seus sonhos não tem valor ou que seu caminho não é o correto, siga em frente!

É isso turma, espero que tenha gostado do texto que preparei para vocês com todo carinho do mundo! Comentem aí embaixo, deixem suas opiniões para eu saber se vale a pena continuar por aqui, deixem suas dúvidas, ideias, carinho...vou amar ler! =)

Comentários via Facebook

7 comentários:

  1. Oi, Ju!
    Você conseguiu resumir muito bem essa vida de artesã empreendedora!
    Outra coisa que não me contaram é que clientes super fofas e educadas podem ser muito desonestas! Mas, felizmente, elas são uma minoria!
    De tudo o que vc citou o que mais me prejudica é a falta de rotina. Principalmente pq ainda estou trabalhando em casa, pois quando as tarefas domésticas se misturam com o trabalho é um "Deus nos acuda".
    Continue escrevendo por aqui... Seus textos são ótimos de ler!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Josi! Obrigada!!! Ahhhh...sei bem como é, eu estou preparando um texto falando justamente sobre isso, quebrar o paradigma do "cliente tem sempre razão" e estratégias para lidar com alguns conflitos com eles. Beijokas! =)

      Excluir
  2. Oi, Juliana!

    Realmente é desse jeito. Experimento essa sensação sempre que entro de férias no trabalho. Ainda não consegui largar tudo e viver do que amo, sou funcionária pública, porém, estou a ponto mesmo de largar o que faço. A vida útil de um professor de escola pública num país que não valoriza a Educação é muito curta, é muito difícil. Só com muito amor.

    Nas férias, percebo bem isso de ser "tudo ao mesmo tempo agora". E, sinceramente, mesmo trabalhando em casa, com tarefas domésticas para fazer, filho me requisitando o tempo todo, tendo que estar na criação, produção, marketing, contas a pagar e receber e tal, é muito gratificante ver o resultado de tudo isso e um prazer estudar e aprender com o que fazemos e trocamos com o que produzimos, lemos e com outras artesãs.

    Foi uma delícinha ler seu texto. E vamos que vamos porque muito trabalho nos espera pela frente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andréa, muuuuuuito obrigada pelo recadinho! Vamos que vamos, sempre em frente!

      Excluir
  3. Gostei, falou tudo e mais um pouco. Estou no ramo de costura a mais de 5 anos, temos os altos e baixos sim, mas aprendi a me levantar em cada tombo. De mecânica aeronáutica a costureira, mudança total kkk. Assim sigo em busca dos meus objetivos, sempre tendo fé e amando meu trabalho agora. Beijos Juliana Panini (Mimos da Juh)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey JU, que mudança drástica hein...da aeronáutica para costura é um senhor pulo hein! Mas é isso mesmo, temos que seguir com fé! Sempre! Beijokas!!!!

      Excluir
  4. Sempre curti muito artesanato e fazia muitas coisas. Quando abri o Atelier Coralinda com o feltro pensei como um complemento da minha renda de professora e poder curtir a família (depois de me mudar pro interior justamente para ter mais qualidade de vida). Por conta do tempo, acabei migrando para a costura criativa e a pulguinha empreendedora está me picando de um jeito agora que quero viver de artesanato! E tomara que num futuro breve! Amo suas dicas!

    ResponderExcluir

© 2016 – Todos os direitos reservados

Desenvolvimento com por